26 de nov de 2007

Política

Olá pessoas! Pode parece que não, mas uma das coisas que mais são discutidas aqui por meio desses gifs e rabiscos é a política, afinal, fizemos faculdade e lá aprendemos que somos sujeitos sociais e seres políticos. Inclusive lemos algum xerox de coisas de Kant e Marx.

O caso é que o imbecil e anacrônico vereador Elias Murad é o bastião mineiro contra as drogas, e para fazer a fama valer vive tentando fazer coisas muito loucas, como seu último Projeto de Lei, de proibir a realização de eventos de música eletrônica para conseguir que os filhos mimados e incontroláveis dos belorizontinos mais ricos não consumam entorpencentes sintéticos.

Não vamos falar aqui que a culpa do menino ir de carro próprio, ter roupa bonita e poder desembolsar 280 reais para ir numa dessas festas é dos pais, por tanto se eles se entopem de bala e ácido, a culpa começa pelos pais.

O lance é que proibir eventos culturais (ok, raves não são cultura, mas já conferiram para mim e para vários amigos freelas generosos) para inibir o uso de drogas, faz parte da mesma enfermaria de estupidez que, há meses atrás, propôs a proibição da venda de armas como desculpa para a diminuição da violência e abafamento do caso do Mensalão.

O caso é que esse Elias Murad deve ter algum filho ou netos muito doidos devidamente enviados para os EUA de forma a não envergonhar a carreira desse político bacana, que está há décadas pelos parlamentos nacionais.

Mas vamos falar aqui de coisas legais, como a decisão do governador baiano Jaques Wagner de interditar escolas próximas ao estádio Fonte Nova, que desabou ontem de noite em Salvador.

Não seria legal se toda a região da Pampulha ficasse sem aula por conta de algum desabamento no Mineirão? Seria ótimo para a família dos professores que dão aulas naquela região, afinal teriam mais tempo para ficarem juntos e evitarem as drogas! Yupie!

Nenhum comentário: